Post destacado

Campanha de Contribuição Financeira 2018

capa FB - camapnha contribuicao financeira UCB

A UCB – União de Ciclistas do Brasil defende e estimula a corresponsabilidade dos seus Associados e Associadas pela manutenção financeira da instituição.

A UCB tem expandido muito sua atuação em projetos próprios e em parcerias, o que gera um aumento nas atividades para serem desenvolvidas e articuladas pela instituição.

Durante a campanha vamos citar alguns motivos para sua compreensão de como é importante sua contribuição.

Além da Contribuição Financeira dos Associados, a UCB também aceita doações espontâneas de qualquer pessoa física.

Para contribuir ou doar, acesse a página em http://www.uniaodeciclistas.org.br/participe/contribuicoes-e-pagamentos/

 

Share Button

Edital 02/2018 – Você no FMB7

 

1) CONVITE E ESCLARECIMENTOS

  • A UCB – União de Ciclistas do Brasil, convida todas as pessoas interessadas a se inscreverem no Edital 02/2018 – Você no FMB7 para apoio financeiro para apresentação de trabalhos no FMB7 – 7º Fórum Mundial da Bicicleta, a se realizar em Lima/Peru entre 22 e 26/02/2018
  • Para inscrever-se, os interessados devem ler atentamente o texto do Edital, abaixo
  • Este documento será atualizado constantemente até a finalização do processo, incluindo eventuais retificações no Edital e a divulgação do resultado final da seleção

 

2) TEXTO DO EDITAL 02/2018 UCB E RETIFICAÇÕES

>> Clique aqui para baixar o Edital 01/2018 em PDF
>> Clique aqui para baixar a Retificação 01/2018 em PDF

 

3) INSCRIÇÕES

>> Clique aqui para inscrever-se no Edital 02/2018

.

4) RESULTADO FINAL DA SELEÇÃO

Informamos a primeira e única chamada do resultado do Edital Você no FMB7, tendo em vista que somente foram recebidas 10 inscrições para seleção, cada participante receberá em seu email cadastrado maiores detalhes sobre como proceder nas próxiams etapas do edital. Agradecemos a todas e todos que participaram, desejamos uma ótima viagem e um ótimo FMB7!!!

  • A bicicleta como um instrumento de Saúde Pública – John Fontenele (Natal / RN)
  • A invisibilidade da mulher negra periférica na mobilidade – Lívia Moreira Soares de Souza (Salvador / BA)
  • Bicicleta na escola – Ana Maria Nascimento Destri (Florianópolis / SC)
  • Bicicultura 2017 – Lígia Maria Pereira Lima (Recife / PE)
  • Convivência Legal – Paulo Henrique Santana Aguiar (Manaus / AM)
  • Donde tu vem, pronde tu vai? – Daniel Arraes de Alencar Valença (Recife / PE)
  • MobCidades – Mobilidade, Orçamento e Direitos – Yuriê Baptista César (Brasília / DF)
  • PlanBici BH – Sua construção e desafios  – Carlos Edward Campos (Belo Horizonte / MG)
  • Vale Europeu Catarinense – Cicloturismo – Daniel de Freitas Dias (São Paulo / SP)
  • Una propuesta metodológica para evaluación de vias ciclistas – Fabiano Faga Pacheco (Florianópolis / SC)

 

.

Share Button

Eleição do Conselho Regional da UCB – Organização Geral

.
1) CONVITE E ESCLARECIMENTOS

  • Através desta, a UCB – União de Ciclistas do Brasil, convida os seus Associados/as Indivíduos participarem da Eleição para o Conselho Regional da UCB:
    – Candidatando-se para Conselheiro/a Regional da sua região
    – Votando nos candidatos e candidatas da sua região
  • Este documento será atualizado constantemente até a finalização do processo
  • Alterações ou correções serão destacadas em vermelho

 

2) ATRIBUIÇÕES DO CONSELHO REGIONAL E EDITAL DA ELEIÇÃO

  • Conforme o Estatuto da UCB, a cada posse de nova Diretoria, deve ser feita eleição de novos integrantes para o Conselho Regional
  • Correção: O Conselho Regional é composto por um Conselheiro (homem) e uma Conselheira (mulher) de cada região do Brasil, totalizando 10 membros, todos Associados Indivíduos da UCB
  • Correção: O Conselho Regional é composto por dois/duas Conselhelheiros/as de cada região do Brasil, sendo que cada região deve ter pelo menos uma Conselheira mulher, totalizando 10 membros, todos/as Associados/as Indivíduos da UCB
  • Compete ao Conselho Regional “deliberar sobre questões que envolvam representação regional e de distribuição ou alternância entre regiões do Brasil”, bem como, “compor o Conselho Deliberativo da UCB” (consulte as atribuições do Conselho Deliberativo no Art. 36 do Estatuto da UCB)
  • Adicionalmente, é atribuição de cada Conselheiro/a Regional:
    – Representar a UCB em eventos locais
    – Representar os Associados e Associadas da respectiva região no Conselho Regional e no Conselho Deliberativo
    -​ Estimular e acompanhar ações integradas de associados nas regiões
    – Informar o GT Comunicação dos seus atos com interesse de divulgação
    – Coordenar a eleição dos Conselheiros Regionais no momento pertinente
  • Além disso, os/as novos/as Conselheiros/as Regionais participarão da elaboração e execução do Planejamento Estratégico da UCB (previsto para março ou abril/2018)
  • Consulte a íntegra das regras para a Eleição no Edital 01/2018

 

3) APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

  • Serão aceitas candidaturas até o dia 16/01/2018 (Terça-feira)
  • Atualização: Foram prorrogadas as inscrições para a Região Sudeste até o dia 21/01/2018, pois não foi apresentada candidatura de Associada mulher
  • Clique aqui (ou no botão abaixo) para apresentar sua candidatura para Conselheiro Regional da UCB

 

4) RELAÇÃO DE CANDIDATURAS E PLATAFORMA DE VOTAÇÃO

  • Os candidatos e candidatas inscritos encontram-se na relação abaixo
  • A eleição não é secreta e serão divulgados o resultados de todos os/as eleitos/as, com identificação dos/as votantes em cada candidatura
  • Clique aqui para votar nas candidaturas de sua região até o dia 28/01/2018

.xx

x

5) DIVULGAÇÃO DOS NOVOS/AS CONSELHEIROS/AS REGIONAIS DA UCB

  • A relação dos/as novos/s Conselheiros Regionais da UCB está exposta abaixo.
  • A eleição não é secreta e serão divulgados o resultados de todos os/as eleitos/as, com identificação dos/as votantes em cada candidatura
  • Para conhecer a quantidade de votos, os votantes e respectivos votos e sistematização do processo, acessem a planilha em https://goo.gl/msi77m
  • Os/as participantes da votação que não tiveram suas votações invalidadas são convidados a tornarem-se Associados/as Indivíduos da UCB em www.uniaodeciclistas.org.br/associe-se . Em caso de duvidas, entrar em contato através de www.uniaodeciclistas.org.br/sobre-a-ucb/contato
  • A UCB agradece a todos/as pela participação no processo.
RELAÇÃO DOS/AS CONSELHEIROS/AS REGIONAIS ELEITOS/AS
REGIÃO NOME UF CIDADE
Sudeste
Aline Cavancante Mendonça SP São Paulo
Carlos Edward Campos MG Belo Horizonte
Sul
Tássia Dias Furtado RS Porto Alegre
Luis Antonio Schmitt Peters SC Florianópolis
Nordeste
Sayuri Silva Dantas de Oliveira SE Aracaju
John Fontenelle Araujo RN Natal
Norte
Melissa Campelo Noguchi PA Belém
Paulo Henrique Santana Aguiar AM Manaus
Centro-Oeste
Larissa Cantarelli Macedo GO Pirenópolis
Cláudio Oliveira da Silva DF Brasília

.

Share Button

Propostas para a reforma do CTB

No dia 05/12/2017, representantes do GT Políticas Públicas da UCB estiveram na Câmara dos Deputados em Brasília para entregar as propostas de alteração da revisão do CTB para o assessor do relator Deputado Sérgio Brito (PSD- BA). O ofício que foi entregue em mãos ao assessor Jerry Dias, foi também enviado por e-mail à Comissão Especial que está tratando do PL 8085/14, e pode ser visualizado na íntegra neste link.

camara-05-12-17

Share Button

Nota Pública: Porque é injusto multar pedestres e ciclistas

reoc2As organizações abaixo assinadas vêm se posicionar absolutamente contrárias à Resolução 706/2017 do Contran, que padroniza a aplicação de autos de infrações a pedestres e ciclistas que cometerem infrações previstas nos já incorretos e criticados artigos 254 e 255 do Código de Trânsito Brasileiro.

Multas são ferramentas importantes para promover o respeito à sinalização e à regulamentação de trânsito, o que é necessário para garantir a segurança de todas as cidadãs e cidadãos. Para tanto, é essencial que a sinalização esteja adequada às necessidades mínimas do trânsito de veículos e pessoas, além de suficientemente clara para sua correta interpretação por quem as vê, sejam estes condutores, seja quem faz uso dos modos ativos de deslocamento – também conhecidos como não-motorizados.

O espaço de circulação das nossas cidades, no entanto, priorizou historicamente a fluidez de veículos motorizados individuais. A largura das ruas, a configuração dos cruzamentos, até os tempos dos semáforos foram planejados a partir da lógica desses veículos. Tal lógica se reflete recorrentemente na redução de calçadas, na falta ou na localização inadequada de faixas de pedestres, na construção de vias de trânsito rápido dentro do perímetro urbano e no atraso marcante no avanço de infraestrutura cicloviária, por exemplo.

Com isso, as pessoas que se deslocam a pé ou de bicicleta são colocadas constantemente em situações de insegurança ao transitarem pelas ruas das cidades brasileiras. Por outro lado, quando um motorista viola ou ignora uma sinalização, ele está infringindo uma sinalização e infraestrutura construída especificamente para ele.

Pedestres e ciclistas são os atores mais vulneráveis do sistema de circulação e, seguindo esta premissa, a Política Nacional de Mobilidade Urbana expressa em seu artigo 6º que devem ter prioridade no trânsito. Para retirá-los de situações de insegurança, que contribuem para elevar o índice de mortes ligadas ao trânsito brasileiro, é necessário criar infraestrutura de forma sistêmica e em rede, respeitando a lógica do deslocamento dos usuários mais vulneráveis do sistema, permitindo a circulação destes na cidade com liberdade e segurança.

Dados de contagens de ciclistas realizadas em algumas capitais brasileiras confirmam esta afirmação, ao apontar que, após a implantação de ciclovias e ciclofaixas, o número de ciclistas pedalando na contramão e na calçada diminui bastante (1, 2, 3). Portanto, a aplicação de multas a pedestres e ciclistas não se apresenta como uma solução efetiva para resolver os problemas de mobilidade urbana e da convivência nas ruas. Para tal o espaço urbano precisa ser readequado, repensado, redesenhado através de intervenções físicas, de modo a promover uma maior equidade e justiça sócio-espacial. O comportamento das pessoas está diretamente ligado às condições do espaço que lhes é oferecido.

Frente à precariedade que se observa no espaço público dedicado à pedestres e ciclistas, e a todos aqueles que se movem pela cidade de forma ativa, não é justo cobrar que pedestres e ciclistas se adequem e utilizem infraestruturas que não respeitam suas necessidades e suas lógicas de deslocamento. Enquanto se discute penalizar os elementos mais frágeis do sistema de mobilidade, as cidades seguem carentes de faixas de pedestres, ciclovias e dispositivos de acalmamento de tráfego. Entendemos que tal decisão do Contran é injusta e aumentará a desigualdade entre os atores do trânsito, além de desestimular o pedalar e o caminhar como desejáveis modos de deslocamento urbano, sendo antagônica à Política Nacional de Mobilidade Urbana.

Assinam, conjuntamente:
Obs: Clique aqui para ver a lista atualizada de organizações subscritoras
.. ……Entre em contato conosco para inserir sua organização nesta lista

  1. A Pezito – Porto Alegre RS
  2. ABC – Associação Blumenauense pró-Ciclovias
  3. ACIG – Associação dos Ciclistas da Ilha do Governador
  4. ACIRN – Associação de Ciclistas do Rio Grande do Norte
  5. Ameciclo – Associação Metropolitana de Ciclistas do Grande Recife
  6. Andar a pé: o movimento da gente – Brasília DF
  7. Apta – Amazônia Pelo Transporte Ativo
  8. Associação Regional de Mobilidade Ativa Ciclovias – Sul Fluminense RJ
  9. BH em Ciclo – Associação dos Ciclistas Urbanos de Belo Horizonte
  10. Bicicleta na Rua
  11. Biciponto – Porto Alegre
  12. Bike Anjo
  13. Brasília para Pessoas
  14. Caminhada Jane Jacobs – Florianópolis/SC
  15. Ciclanas – Mulheres de Bicicleta no Trânsito de Fortaleza
  16. Ciclocidade – Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo
  17. Cicloiguaçu – Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu
  18. Ciclomobi – Coletivo de Ciclistas Urbanos de Maceió
  19. Ciclomobilidade Pará
  20. Ciclonoroeste – Maringá PR
  21. Ciclovida – Associação dos Ciclistas Urbanos de Fortaleza
  22. Cidade Ativa – São Paulo/SP
  23. Cidadeapé – Associação pela Mobilidade a Pé em São Paulo
  24. Coletivo Bicicleta nos Planos Campo Grande – Campo Grande/MS
  25. Coletivo Ciclistas de SJC – São José dos Campos/SP
  26. Coletivo Cidade Mais Humana – Porto Alegre RS
  27. Coletivo de Ciclistas de SJC – São José dos Campos SP
  28. Coletivo Pará Ciclo – PA
  29. Comissão de Ciclistas do Amazonas
  30. Corrida Amiga – São Paulo SP
  31. Desvelocidades.red – Belo Horizonte MG
  32. Idec – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor
  33. Inesc – Instituto de Estudos Socioeconômicos
  34. Instituto CicloBR de Fomento à Mobilidade Sustentável
  35. Instituto MDT – Brasília DF
  36. ITDP Brasil – Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento
  37. Mobicidade – Associação Pela Mobilidade Urbana em Bicicleta – Porto Alegre RS
  38. Mobicidade Salvador – Coletivo de Ciclistas Urbanos de Salvador
  39. Mobilidade JF – Juiz de Fora MG
  40. MobiRio – Associação Carioca pela Mobilidade Ativa
  41. Pedala Manaus
  42. Rede Brasileira de Cidades Justas, Democráticas e Sustentáveis
  43. Rodas da Paz – Brasília DF
  44. SampaPé
  45. UCB – União de Ciclistas do Brasil

 

OUTRAS MANIFESTAÇÕES

A seguir, outras manifestações contrárias à Resolução 706/2017 do Contran:

  1. Pé de Igualdade, Meli Malatesta: Multar o pedestre vai mesmo melhorar a segurança no trânsito?
  2. Caminhas Urbanas, Mauro Calliari: Multar o pedestre não vai nos tirar da pré-história da caminhabilidade
  3. ANTP, Branco: Multa ao pedestre: a punição antes de regras claras
  4. ITDP Brasil: ITDP manifesta preocupação com resolução que autoriza multas a pedestres e ciclistas
  5. Bike é Legal, Renata Falzoni: Multas para pedestres e ciclistas? Entenda
  6. Jornal do Comércio, Roberta Soares. É preciso colocar os pés na rua e ser pedestre

 

.

Compartilhe isso:

.

Share Button

Lançado o Guia de Planejamento Cicloinclusivo! do ITDP Brasil!

unnamedO ITDP Brasil lançou o Guia de Planejamento Cicloinclusivo!

O Guia apresenta elementos fundamentais para o planejamento cicloinclusivo, contemplando diretrizes para projetos de infraestrutura e ações complementares. Continue lendo

Share Button

Convocatória para Assembleia Geral da UCB

Convoca CONVOCATÓRIA

 

Através da presente ficam convocadas todas as Associadas Instituições Atuantes da UCB – União de Ciclistas do Brasil para a Assembleia Geral:

  •  Data: 08 de setembro de 2017.
  • Horário: 16h00.
  • Local: Rua da Alfândega, 35 – Bairro do Recife – Recife/PE.
  • Pauta: 1) Reforma do Estatuto;
    2) Aprovação do Regimento Interno;
    3) Homologação dos Balanços Financeiros dos anos 2015 e 2016;
    4) Eleição da Diretoria e do Conselho Fiscal;
    5) Assuntos gerais.

 

Balneário Camboriú/SC, 25 de agosto de 2017.

 

___________________________________
André Geraldo Soares
Diretor Presidente
União de Ciclistas do Brasil – UCB

Clique aqui para baixar a Convocatória em PDF.

.

Share Button

Publicado o “Relatório e Avaliação da Campanha Bicicleta nas Eleições 2016″

divulga relatEm 2016 UCB – União de Ciclistas do Brasil realizou a Campanha Bicicleta nas Eleições, que foi desenvolvida por Organizações Locais de Ciclistas em 39 cidades brasileiras.

A campanha cumpriu seus objetivos, alcançando ótimos resultado na difusão da discussão sobre a bicicleta em um espaço eminentemente político em todas as regiões do Brasil e de contribuir para o fortalecimento institucional e o reconhecimento social das organizações que a executaram nas diversas cidades.

Os resultados foram demonstrados pelos números e pela avaliação das Organizações participantes e agora estão publicados no documento Relatório e Avaliação da Campanha Bicicleta nas Eleições 2016.

O documento pode ser baixado em https://goo.gl/GizoT9

.

Share Button

Seleção da cidade sede do Bicicultura 2019

Bicicultura 2019O BiciculturaEncontro Brasileiro de Mobilidade por Bicicleta e Cicloativismo de 2017 ocorrerá em Recife (07-10/09) e o Bicicultura de 2018 ocorrerá no Rio de Janeiro (data a ser definida). Ambas sedes foram escolhidas durante o Bicicultura São Paulo 2016.

Agora chegou a vez de escolhermos qual cidade acolherá o Bicicultura em 2019. Segundo Regimento Interno, a sede do evento é escolhida com dois anos de antecedência, sempre na Plenária Final do Bicicultura. Continue lendo

Share Button

Encontro entre a promoção da bicicleta no Brasil e a ONU

No último dia 3 de agosto, na Alemanha, Aline Cavalcante, integrante DoGangorra, se encontrou com Patricia Espinosa, Secretária Executiva da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC, em inglês).

Na oportunidade, Aline e Patricia dialogaram sobre partes da Nova Agenda Urbana (N.A.U.) – e dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a conexão desses dois marcos ambientais, políticos e sociais com o uso da bicicleta como parte da mobilidade urbana – e rural – nos municípios brasileiros.

A N.A.U. e os ODS foram oficialmente divulgados para o mundo durante a Conferência das Partes (COP21) de Paris e institucionalizados por meio do Acordo de Paris, que já está disponível em português.

Aline, com contribuições de várias organizações e pessoas, redigiu e entregou o “Manifesto pela Mobilidade Ativa” (ou Manifest for active mobility em inglês) com objetivo de mostrar a importância da mobilidade ativa (de usar a bicicleta e do caminhar) como meios de se reduzir as emissões de gases de efeito estufa e de poluentes locais em cidades do mundo todo.

O Manifesto, que pode ser baixado AQUI, traz alguns compromissos que, pelo menos, 10 organizações da sociedade civil do Brasil firmaram. Entre eles contribuir para: a garantia que as ruas sejam espaço de vida e não de desastres, com a redução das emissões de gases de efeito estufa e poluentes locais, a inclusão social e outros.

Além do Manifesto pela Mobilidade Ativa, Aline entregou a Patricia dois documentos importantes que têm circulado no Brasil:

  1. O documento A bicicleta como promotora dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável no contexto brasileiro (https://goo.gl/dNZpZw), produzido pela UCB;
  2. O Manifesto pelas Desvelocidades (https://goo.gl/wLk38W), desenvolvido pelo coletivo Desvelocidades.red.

O documento da UCB, inspirado no da Federação Europeia de Ciclismo – ECF -, contempla uma visão de como a promoção de políticas públicas para a bicicleta e o uso deste modo de transporte têm impacto direto e indireto nos 17  ODS – Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.

Um dos pontos altos da conversa foi a alegria da representante da ONU em saber que há instituições da sociedade civil se articulando e agindo para colocar em prática os ODS e a N.A.U no que tange à melhoria de vida nas cidades, mesmo frente ao enorme lobby de indústrias ligadas aos combustíveis fósseis e montadoras para que nossas ruas tenham cada vez mais automóveis, motos e outros veículos individuais motorizados (e menos bicicletas).

Segundo Aline, “para fins de ativismo e negociação, foi uma abertura necessária, muito importante, que contribuiu para ela saber que a sociedade civil está olhando para esse debate e está próxima dele. Para nós, ativistas, também é importante saber que a Patricia, representando a ONU, tem interesse em apoiar iniciativas que lidam com os temas a nossa conversa.”

photo4918425217295034334

Na foto, Aline entregando o Manifesto para Patricia.

CONEXÃO: em novembro, Patricia estará no Brasil para entrega do prêmio WhatDesignCanDo. Saiba mais sobre o prêmio e como você pode participar: http://www.whatdesigncando.com/challenge-2017/climate-action/.

Share Button