calcada b

A campanha Calçada #Cilada está no ar! Participe!

No último dia 3 de abril, começou a Campanha Calçada Cilada, idealizada pelo Instituto Corrida Amiga​, com o apoio da UCB e de outras organizações parceiras.

A Campanha ocorrerá durante todo o mês de abril, com o objetivo central de engajar a população em favor de cidades caminháveis e acessíveis fiscalizando as calçadas por meio do aplicativo Colab com a hashtag #Cilada​. A prioridade será dada ao mapeamento de passeios com grande fluxo de pedestres.

Objetivos e atividades:
● Mobilizar pessoas e cidades em todo Brasil, colocando em pauta a questão da
qualidade das calçadas e seu impacto na saúde, segurança e mobilidade de seus
cidadãos;
● Obter considerável levantamento de dados sobre as condições das calçadas e os
resultados pós “mapeamento”;
● Exigir dos entes públicos e privados acessibilidade universal considerada na Lei
Brasileira de Inclusão (LBI), nº 13.146/2015;
● Requalificação de Calçadas com o apoio da Soluções para Cidades/ ABCP. É calçada
cilada virando “calçada cidadã”!
● Eventos de mobilização em todas as regiões do Brasil ao longo do mês de abril
mobilizando levando a campanha às ruas. Siga a Corrida Amiga no facebook ou pelo
no site corridaamiga.org (Calendário). ACOMPANHE!

Seis passos para você. É rapidinho! :)

Continue lendo

Share Button

A pé e de bicicleta – Cidade ciclável é também mais caminhável

  • Artigo para a coluna “Unindo Ciclos” da UCB na Revista Bicicleta. Ver demais artigos aqui.
  • Edição: Nº 70 – Jan/Fev/2017
  • Autores: Andrew Oliveira (Cientista Social pela Universidade Estadual de Campinas, Coordenador de projetos da Corrida Amiga), Anna Gabriela Hoverter Callejas (Arquiteta e urbanista pela Universidade de São Paulo, Mestre pela Columbia University, Presidente da Cidade Ativa), Rafaella Basile (Arquiteta e urbanista pela Universidade de São Paulo, Vice-Presidente da Cidade Ativa), Ramiro Levy (Arquiteto e urbanista pela Universidade de São Paulo, Secretário da Cidade Ativa) e Silvia Stuchi Cruz (Dra em PC&T pela Universidade Estadual de Campinas, Coordenadora Geral da Corrida Amiga).

Continue lendo

Share Button

Resultado do edital “Vc no FMB6″

Foram recebidos 18 inscrições para o edital. Respeitando os quesitos apresentados no edital, a UCB apresenta abaixo o nome dos projetos e as respectivas pessoas (e cidades) selecionadas em primeira chamada:

  • Active transportation in school comunities - Luis Claudio Brito Patricio – Curitiba*
  • Red de Colaboración – Producción de conocimiento para la promoción de la movilidad por bicicleta en Brasil: Investigación Nacional y formación de la Red de investigadore - Juciano Martins Rodrigues - Rio de Janeiro
  • Construyendo juntos la movilidad en bicicleta en Belo Horizonte – Amanda Cristine Corradi – Belo Horizonte
  • Biciponto – Como encontrar soluções para os problemas em sua volta - Carlos Eduardo de Carvalho Filho – Porto Alegre
  • Bota pra Rodar – Proyecto para recoger, reciclar y reutilizar bicicletas en comunidad, de forma compartida y colaborativa - Sabrina da Rosa Machry – Recife
  • Las mujeres ciclistas de São Paulo: una pesquisa para mejor comprender sus desafíos - Marina Kohler Harkot – São Paulo
  • EBA! Entre Todos – Bicicleta como herramienta de inclusión - Karine Dantas Góes e Góes – Salvador
  • Pedala Maninho - Claudia Valente de Oliveira – Manaus**

Caso alguma das sete selecionadas não cumpra os requisitos da verificação documental, os trabalhos com notas subsequentes serão selecionados. Os contatos da 2ª chamada – e outras possíveis -, como na primeira, serão feitos por e-mail diretamente com a pessoa.

* não preencheu todos os quesitos do edital. ** selecionada após a verificação dos candidatos da 1ª chamada.

Share Button
edital-itau_20810812_002b14506e2c0d6aafe63cd8e3ba9cecde1b7c39

Edital: Você no 6º Fórum Mundial da Bicicleta!

A 6ª edição do Fórum Mundial da Bicicleta (FMB6), que se realizará na Cidade do México, está chegando. Dezenas de trabalhos, realizados em solo brasileiro, por centenas de pessoas, foram aprovados para serem apresentados (ao mundo!) no México.

Nesse sentido, o Itaú e a UCB – União de Ciclistas do Brasil, com apoio do ITDP Brasil, uniram esforços para selecionar SETE pessoas para receberem passagens nominais e também ajuda de custo para irem ao FMB6 apresentarem seus trabalhos!

Entre os dias 8 e 15 de março, a UCB receberá inscrições para o edital. As inscrições devem ser feitas por meio deste FORMULÁRIO.

ANTES DE SE INSCREVER, CLIQUE AQUI E LEIA ATENTAMENTE O EDITAL, POR FAVOR.

Dúvidas sobre o processo, envie e-mail para uniaodeciclistasdobrasil@gmail.com .

edital-itau_20810812_002b14506e2c0d6aafe63cd8e3ba9cecde1b7c39

Share Button

8 de Março não é sobre comemoração, parabéns e elogios.

Hoje é um dia para marcar a luta diária das mulheres por igualdade, respeito, pelo acesso à cidade e pelo direito à vida.

Precisamos pensar e entender cada vez mais quem são as mulheres que ocupam a cidade de bicicleta, a pé, no transporte público, e como podemos trabalhar para garantir que seu direito de acesso seja natural e não uma estratégia diária de sobrevivência.

Se nos engajamos por uma cidade mais justa e sustentável, tendo a bicicleta como principal ferramenta da nossa luta, vamos trabalhar para cada vez mais entender onde estão e para onde vão as mulheres cis e trans; brancas, negras, indígenas; as meninas, jovens e idosas; as mães; as mulheres com deficiência e mobilidade reduzida – quais são seus desafios para viver e circular na cidade e como a bicicleta pode ser mais uma ferramenta de emancipação e independência.

E não se trata de hoje, apenas.

A busca por igualdade de gênero deve permear permanentemente todas as nossas ações e forma de pensar a cidade que queremos – boa para bicicletas, mas sobretudo possível para mulheres e meninas.

“Ganhando uma mixaria, levando desaforo dos outro resolvi criar meu próprio negócio. Vendo 40 a 50 quentinha e saio pra entregar tudo de uma vez só. Moro no parque da cidade e atendo a região da gávea. Obra de construção, farmácia, prédio, colégio. Trabalho com a bicicleta e ela é meu meio de transporte e além de fazer uma ginasticazinha né. Eu vivo da bicicleta forneço comida através dela. Adianto alguma coisa tempero as carne a noite e começo trabalhar às 7 horas às 10 horas saio pra entregar. Normalmente 13 horas já estou em casa. É perigoso. Você tem que tá na pista, ai na pista os carros não respeitam, tu vai pra calçada, tem que tomar cuidado com os pedestres, você fica num beco sem saída. Eu só vou na rua quando vejo que não tem carro, porque eles não respeitam. Trabalhando com bicicleta a velha guerreira em uma semana eu tiro meu salário de um mês trabalhando pros outros. Vale muito a pena.”
a bicicleta para ELISANGELA ‘BAIANA DAS QUENTINHAS pelo Projeto Transite

17218715_742295762591641_5786196595481684828_o

Share Button

Cicloativismo: instrumento de inserção da bicicleta como política pública das futuras gestões municipais

  • Artigo para a coluna “Unindo Ciclos” da UCB na Revista Bicicleta. Ver demais artigos aqui.
  • Edição: Nº 68 – Nov/2016
  • Autores: André Geraldo Soares – Diretor Presidente da UCB e Coordenador de Articulação da campanha Bicicleta nas Eleições da UCB. Revisão: Kelly Hekally – Vice-Presidente da Ciclovida (Fortaleza) e Coordenadora de Comunicação da campanha Bicicleta nas Eleições da UCB

Continue lendo

Share Button
NB2

A bicicleta como parte das ações locais pelo clima

“As Nações Unidas estimam que 91% da população brasileira viva em regiões urbanas nos próximos três anos – no último Censo, de 2010, o índice era de 84%. Esse processo, acelerado e irreversível, proporciona aos governos locais o protagonismo no enfrentamento às mudanças climáticas e, consequentemente, a responsabilidade pela preservação do nosso futuro. O impacto global das ações locais deve estar prioritariamente na pauta das cidades. E é neste contexto que este Guia de Ação Local pelo Clima se impõe.”

O objetivo do Guia é  “auxiliar a ação concreta do poder público municipal nessa empreitada climática. Trata-se de um roteiro prático para ajudar o gestor na produção e/ ou revisão de sua estratégia para enfrentar as mudanças do clima”.

Em seu conteúdo, o Guia contextualiza o problema das mudanças climáticas de forma didática e elucidativa, com imagens ilustrando os textos, apresenta as diferenças entre as escalas local e global, bem como os respectivos movimentos que têm sido feito em ambas e as consequência de tais mudanças em diferentes contextos geográficos.

Bicicletas e mudanças climáticas

Em sua página 34, o Guia apresenta exemplos a serem promovidos no sentido de  reduzir emissões de gases de efeito estufa e cita a bicicleta como um deles.

Formas de transporte que emitem menos ou nenhum GEE, como ônibus e bicicletas, podem ser priorizados e favorecidos por meio de corredores exclusivos ou preferenciais para os ônibus e de ciclovias.”

Em sua página 82, o Guia afirma que “Nas cidades com estrutura adequada de ciclovias, a economia se dá na área de saúde, pela redução de poluição do ar (ciclistas usam menos o carro) e pelo aumento de atividade física na população“.

Em diversas outras partes do Guia, a bicicleta aparece como uma, entre tantas, soluções que precisamos estimular e promover para que nossas cidades sejam cidades de baixo carbono e, por consequinte, capazes de lutar contra as mudanças climáticas.

Sem título

Imagem recortada do Guia

Além, o Guia traz ferramentas políticas sobre como enfrentar as mudanças do clima na escala municipal, traça um panorama de como financiar ações para contribuir com apresenta exemplos práticos que vêm fazendo a diferença nas cidades e também, de forma atrativa, introduz conceitos que têm sido usado nas questões ligadas às mudanças climáticas.

Um dos pontos altos do Guia é mostrar, de forma didática, como desenvolver políticas e ações ligadas ao enfrentamento das mudanças do clima. Os passos são: Comprometimento e mobilização; Pesquisa e avaliação; Linha de base: inventário de emissões de GEE e análise de vulnerabilidade; Desenvolvimento da estratégia; Detalhamento e financiamento; Implementação e monitoramento; Integração e colaboração; Revisão e aprimoramento; e Divulgação da agenda e inspiração.

Ao final, o Guia apresenta mecanismos e fontes de recursos para projetos sobre mudanças do clima e também Legislações de estados e municípios.

O Guia foi elaborado pelo ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade América do Sul e pelo Programa Cidades Sustentáveis, com Apoio da Fundação Konrad Adenauer.

BAIXE O GUIA AQUI.

Share Button

Consulta pública: retirem os impostos da bicicleta!

Campanha PEC 27-2015 1b.Bicicletas mais baratas são fator de inclusão social e de direito à cidade, mas o alto custo das bicicletas no Brasil inibe sua difusão em todas as classes sociais.

Dentre as medidas para baratear a bicicleta, diversas campanhas e projetos requerem a diminuição dos tributos que incidem sobre a bicicleta, estimado em mais de 70%, segundo a Bicicleta para Todos.

botão2Por isso a UCB convida todos/as a apoiarem a PEC 27/2015 (Proposta de Emenda Constitucional), de autoria de diversos senadores, que propõe a isenção de todos os tributos relativos à bicicleta.

Para apoiar a PEC, vote SIM na página da Consulta Pública do Senado.

A PEC, se aprovada, alterará o Art. 150 da Constituição, impedindo que a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios instituam impostos e contribuições sobre bicicletas, suas partes e peças separadas, de fabricação nacional.

Ainda que reconheçamos a necessidade dos tributos para o funcionamento do país, entendemos que a aplicação da PEC 27/2015 por um largo tempo recupera o atraso brasileiro em relação à mobilidade sustentável.

Para apoiar a PEC 2/2015, clique aqui.

 

Mais informações:

.

Share Button
16194875_717532998401251_4910321947015780851_n

O Fórum Mundial da Bicicleta já começou, com os pré-fóruns!

Foro Mundial de la Bicicleta – World Bicycle Forum de 2017, no México, inovou e criou um processo que pode dar ótimos resultados!

Nesse ano, a organização do Fórum, criou um Guia para realização de “Pré-Fóruns” em cidades mundo afora.

Separado em quatro etapas, o Guia contém um passo-a-passo, simples e ao mesmo tempo detalhado, de como realizar o Pré-Fórum locais e quais produtos tirar desse processo.

ETAPA 1: DIAGNÓSTICO
ETAPA 2: MAPEAMENTO
ETAPA 3: PRODUÇÃO DO EVENTO
ETAPA 4: CONCLUSÕES

Os guias estão disponíveis em espanhol, francês, inglês e também em português (com contribuição da UCB  :)  )

Baixe o Guia CLICANDO AQUI e bom Pré-Fórum!

#FMB6

Share Button
b

Publicação: Indicadores de Efetividade da Política Nacional de Mobilidade Urbana

Nos primeiros dias de 2017, após um ano de trabalho entre várias organizações e o Ministério das Cidades, foi publicado o documento Indicadores de Efetividade da Política Nacional de Mobilidade Urbana. O download pode ser feito diretamente AQUI.

O que é

O produto é resultado dos esforços do Grupo de Trabalho criado em outubro de 2015 e coordenado pela Secretaria Nacional de Transporte e Mobilidade Urbana (SEMOB) em conjunto com Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento – ITDP Brasil.

O objetivo do documento

Ampliar o debate e a participação em torno desta agenda.
Continue lendo

Share Button