Amsterdam é aqui: nove cidades brasileiras com alto uso de bicicleta

Capturada - 261 Oct. 10 07.34“As bicicletas vieram para ficar” é uma destas frases de senso comum que, além de conter uma ideia vazia em si, carrega equívocos de interpretação historiográfica. Desde o início do século XX as bicicletas estão presentes em nossas cidades. Em maior ou menor quantidade, com mais ou menos visibilidade, mas sempre estiveram presentes.

Se nas grandes cidades ou nas cidades em crescimento os automóveis ainda dominam a paisagem e a ocupação da maior parte das vias públicas, o mesmo não pode ser dito sobre algumas cidades brasileiras de pequeno porte – até 100 mil habitantes, de acordo com o IBGE.

No último final de semana de Setembro, a convite da UCB – União de Ciclistas do Brasil, Rede Bicicleta para Todos, Aliança Bike e da Rede Bike Anjo, a cidade de São Paulo recebeu a visita de representantes de nove prefeituras de cidades pequenas que possuem uma ampla e disseminada cultura da bicicleta.

Vieram prefeitos, vice-prefeitos e secretários para conhecer a maior feira nacional do setor de bicicletas, a Brasil Cycle Fair, bem como visitar e analisar algumas das políticas públicas em implantação na cidade de São Paulo.

O diálogo e a troca de informações foram tão enriquecedores que as organizações realizadoras, juntamente com estas prefeituras, já estão estruturando uma ampla pesquisa sobre a cultura da bicicleta em cidades de pequeno porte, visando a investigar profundamente as características locais que fazem destas cidades nossas pequenas “Amsterdans tupiniquins”.

Confira as características principais destas cidades que mantém a cultura da bicicleta no Brasil presente, aquecida e difundida:

Tarauacá (Acre)

Foto: Prefeitura Municipal de Tarauacá

População (2014): 38.201 habitantes, sendo 52% urbana e 48% rural

Estimativa de viagens diárias feitas em bicicleta (Prefeitura): entre 40 e 60%

Quantidade de bicicletas: 3 a 4 bicicletas por domicilio

Características: Cidade centenária, localizada no extremo noroeste brasileiro, na confluência dos rios Tarauacá e Muru. De geografia plana, estabelecida no vale do Juruá, Tarauacá ainda faz fronteira com o Perú.

“No município são 27 mil bicicletas contra 800 automóveis. Este ano fizemos uma audiência pública para implantação da primeira linha de ônibus municipal e veja só o que aconteceu: a população rejeitou a ideia. Disseram que já se sentem contemplados usando bicicleta, moto e caminhando”, revelou o vice-prefeito da cidade de Tarauacá.

Cáceres (Mato Grosso)

População (2014): 90.106 habitantes

Estimativa de viagens diáruas feitas em bicicleta (Prefeitura): Entre 60 e 70%

Quantidade de bicicletas: 130 mil bicicletas

Características: Localizada no alto Pantanal, Cáceres faz fronteira com a Bolívia. Com temperatura média anual de 22,6 graus, sua geografia é predominantemente plana, contando também com planícies pantanosas. É considerada a “cidade das bicicletas”.

“Na minha cidade dizemos que mexer com os ciclistas é sinônimo de enterrar a carreira política”, revelou o Secretário de Governo de Cáceres.

Tamandaré (Pernambuco)

Foto: Prefeitura Municipal de Tamandaré

População (2014): 22.323 habitantes

Estimativa de viagens diárias feitas em bicicleta (Prefeitura): 30%

Características: Cidade litorânea com intensa atividade turística. Localizada no litorial sul de pernambuco, a cerca de 100 km da capital Recife.

Ilha Solteira (São Paulo)

Foto: Prefeitura Municipal de Ilha Solteira

População (2014): 26.242 habitantes

Quantidade de bicicletas: 17 mil bicicletas (para 8 mil residências)

Características: Cidade erguida as margens da sexta maior usina hidrelétrica do mundo. De topografia plana, a construção da cidade seguiu padrão arquitetônico único, com conceito linear e retilínio.

Venda Nova do Imigrante (Espírito Santo)

Foto: Rádio FMZ

População (2015): 23.744 habitantes

Estimativa de viagens diárias feitas em bicicleta (Prefeitura): 50%

Quantidade de bicicletas: 12 mil bicicletas (1 para cada 2 habitantes)

Características: Município com 120 anos de colonização italiana, fica localizado a 103 km da capital Vitória. Parte central da cidade é plana e seu entorno cercado por montanhas.

Pomerode (Santa Catarina)

População (2014): 31.181 habitantes

Estimativa de viagens diárias feitas em bicicleta (Prefeitura): 15,5%

Quantidade de bicicletas: 17 mil bicicletas (para 8 mil residências)

Características: Localizada no Vale do Itajaí, Pomerode é cercada de morros e se desenvolveu ao longo de eixos e fundos de vale. Com forte influência alemã em decorrência dos imigrantes vindos da Pomerânia, foi considerada a cidade mais igualitária do país, em levantamento do Atlas da Exclusão Social.

São Fidelis (Rio de Janeiro)

Foto: Prefeitura de São Fidelis

População (2014): 37.710 habitantes

Estimativa de viagens diárias feitas em bicicleta (Prefeitura): 70%

Quantidade de bicicletas: 1 bicicleta por habitante

Características: Localizada à beira do rio Paraiba do Sul, o município de São Fidelis pertence à região norte fluminense. Com topografia bastante acidentada, é também nas parte mais planas que a cidade se desenvolve. Com histórica e intensa cultura local da bicicleta, São Fidelis foi a primeira cidade no Estado do RJ a destinar uma ponte para trânsito exclusivo de pedestres e ciclistas.

Pedro Leopoldo (Minas Gerais)

Foto (histórica): Prefeitura de São Leopoldo

População (2014): 58.740 habitantes

Estimativa de viagens diárias feitas em bicicleta (Prefeitura): 17%

Quantidade de bicicletas: 20 mil bicicletas

Características: O uso da bicicleta na cidade de Pedro Leopoldo foi bastante difundido desde o início do município, devido ao fato do terreno ser plano no centro da cidade, o que favoreceu a utilização deste meio de transporte de forma intensa. A implantação da Fábrica de Tecidos e da Cimento Cauê, nos extremos da área central, favoreceu a cultura no uso da bicicleta e, nas décadas de 70 e 80, Pedro Leopoldo era conhecida como a cidade das bicicletas no Estado de Minas Gerais.

Gurupi (Tocantins)

Foto: Prefeitura de Gurupi

População (2014): 78.525 habitantes

Estimativa de viagens diárias feitas em bicicleta (Prefeitura): 35%

Quantidade de bicicletas: 25 mil bicicletas

Características: Conhecida como a “capital da amizade”, Gurupi fica a 223 km da capital Palmas e está localizada entre os rios Araguaia e Tocantins. Com topografia, geografia e clima extremamente favoráveis, a cultura da bicicleta em Gurupi é uma tradição que já perpassa inúmeras gerações.

Artigo produzido por Daniel Guth e retirado do site da Folha de São Paulo.

.

Share Button

Uma ideia sobre “Amsterdam é aqui: nove cidades brasileiras com alto uso de bicicleta

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *