Arquivos da categoria: Revista Bicicleta

A pé e de bicicleta – Cidade ciclável é também mais caminhável

  • Artigo para a coluna “Unindo Ciclos” da UCB na Revista Bicicleta. Ver demais artigos aqui.
  • Edição: Nº 70 – Jan/Fev/2017
  • Autores: Andrew Oliveira (Cientista Social pela Universidade Estadual de Campinas, Coordenador de projetos da Corrida Amiga), Anna Gabriela Hoverter Callejas (Arquiteta e urbanista pela Universidade de São Paulo, Mestre pela Columbia University, Presidente da Cidade Ativa), Rafaella Basile (Arquiteta e urbanista pela Universidade de São Paulo, Vice-Presidente da Cidade Ativa), Ramiro Levy (Arquiteto e urbanista pela Universidade de São Paulo, Secretário da Cidade Ativa) e Silvia Stuchi Cruz (Dra em PC&T pela Universidade Estadual de Campinas, Coordenadora Geral da Corrida Amiga).

Continue lendo

Share Button

Cicloativismo: instrumento de inserção da bicicleta como política pública das futuras gestões municipais

  • Artigo para a coluna “Unindo Ciclos” da UCB na Revista Bicicleta. Ver demais artigos aqui.
  • Edição: Nº 68 – Nov/2016
  • Autores: André Geraldo Soares – Diretor Presidente da UCB e Coordenador de Articulação da campanha Bicicleta nas Eleições da UCB. Revisão: Kelly Hekally – Vice-Presidente da Ciclovida (Fortaleza) e Coordenadora de Comunicação da campanha Bicicleta nas Eleições da UCB

Continue lendo

Share Button

A Conferência Habitat III e a necessidade do incentivo ao uso da bicicleta em nossas cidades

  • Artigo para a coluna “Unindo Ciclos” da UCB na Revista Bicicleta. Ver demais artigos aqui.
  • Edição: Nº 68 – Nov/2016
  • Autores: Guilherme Tampieri, Marcelo Cintra do Amaral e JP Amaral

Qual a relação entre bicicleta, moradia e redução de desigualdades mundiais? Como o ato de pedalar pode contribuir para alterar o padrão de consumo, a educação e para o direito à cidade? A União de Ciclistas do Brasil (UCB) acredita e defende que a bicicleta tenha potencial para contribuir com estes e outros tantos temas que compõem os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e com a própria Nova Agenda Urbana (NAU) tratados na Habitat III, a 3ª Conferência das Nações Unidas sobre Moradia e Desenvolvimento Urbano Sustentável. Continue lendo

Share Button

Fórum Nordestino da Bicicleta 2016: a bicicleta como instrumento de transformação social em pauta

  • Artigo para a coluna “Unindo Ciclos” da UCB na Revista Bicicleta. Ver demais artigos aqui.
  • Edição: Nº 67 – Out/2016
  • Autores: Ciclovida (Associação de Ciclistas Urbanos de Fortaleza)

Reafirmar o uso da bicicleta no Nordeste e dialogar sobre transformações que a magrelinha vem promovendo na cidade e no cotidiano das pessoas nos últimos anos: esses são dois dos pilares do Fórum Nordestino da Bicicleta 2016, FNEbici 2016, que acontece entre os próximos dias 11 e 14 de novembro. Caracterizado como momento de aprendizagem sobre mobilidade urbana na Região e de interação entre os participantes, ele será realizado em Fortaleza, Ceará. Continue lendo

Share Button

Dia Mundial Sem Carro, bicicleta, gênero, desvelocidades, eleições e ativismo: a confluência de agendas contemporâneas

  • Artigo para a coluna “Unindo Ciclos” da UCB na Revista Bicicleta. Ver demais artigos aqui.
  • Edição: Nº 66 – Set/2016
  • Autores: Marcelo Cintra do Amaral e Guilherme Tampieri associados à UCB desde 2014

Chegou mais um Dia Mundial Sem Carro – DMSC, iniciativa que surgiu na França, em 1997, e que desde então se expande por cidades do mundo todo, chegando ao Brasil no início dos anos 2000. Uma ideia simples – deixar seu carro em casa por um dia, caso você o tenha -, é motivadora de debates, campanhas e outras ações criativas e educativas que querem provocar a reflexão e mudança de atitude. Continue lendo

Share Button

Eleições Municipais: uma janela de oportunidades para pessoas, cidades e bicicletas

  • Artigo para a coluna “Unindo Ciclos” da UCB na Revista Bicicleta. Ver demais artigos aqui.
  • Edição: Nº 65 – Ago/2016
  • Autor: Guilherme Tampieri – Coordenador de Campanha da “Campanha Bicicleta nas Eleições” da UCB

O urbanismo moderno nasceu e se desenvolveu ao mesmo tempo que o uso do automóvel durante o século XX. Nesse período, a organização do espaço público foi elaborada à luz das necessidades dos automóveis. Nesse processo, as cidades, progressivamente, privaram as ruas de suas funções sociais mais básicas que tinham como foco os serviços de proximidade e o transporte coletivo e ativo (bicicletas e pessoas andando a pé, majoritariamente). Continue lendo

Share Button

Bicicletas e a primeira infância

  • Artigo para a coluna “Unindo Ciclos” da UCB na Revista Bicicleta. Ver demais artigos aqui.
  • Edição: Nº 64 – Jul/2016
  • Autores: Ana Maria Destri, Luis Patricio, Silvia Ballan – Coordenadores de projetos de ciclomobilidade na infância e Associados da UCB

“Se queremos uma pessoa melhor, cuidamos da criança. Se queremos um cidadão, levamos os pequenos a viver a cidade”

Quer conhecer os benefícios da bicicleta na infância? Confira no texto escrito por ciclistas/professores/mãe/pai que pedalam diariamente cinco motivos que mostram por que é muito importante incluir a bicicleta na vida dos seus filhos o mais cedo possível!

Prática regular de atividade física
Alguns especialistas já consideram que a obesidade infantil atingiu índices de epidemia no Brasil. Atualmente, o excesso de peso em crianças e adolescentes causa mais morte que a desnutrição. O aumento da obesidade está diretamente relacionado ao declínio do uso da bicicleta de casa para escola. O hábito de pedalar como transporte vai além da brincadeira, representando uma fonte regular de atividade física.

Continue lendo

Share Button

A bicicleta na 6ª Conferência das Cidades: da sua rua ao Conselho Nacional das Cidades

  • Artigo para a coluna “Unindo Ciclos” da UCB na Revista Bicicleta. Ver demais artigos aqui.
  • Edição: Nº 63 – Jun/2016
  • Autores: Autores: Claudio Silva, Guilherme Tampieri e Yuriê Baptista – Associados UCB; Revisão: Kelly Hekally – Associada UCB

O Brasil, desde a metade do século passado, deixou de ser um país rural e passou a ser majoritariamente urbano (hoje, cerca de 80% das pessoas vivem nas cidades). Esse fato traz consigo a necessidade de adaptar o ambiente à chegada e ao fluxo dessa nova população nos mais diversos âmbitos da organização da vida urbana: do planejamento de políticas públicas, da mobilidade urbana, do uso do solo, dos serviços de saúde, educação e abastecimento, do acesso ao trabalho, do saneamento ambiental, tendo sempre como prerrogativa a busca de universalização ao direito à cidade, que é um direito de todas e de todos.

Continue lendo

Share Button

Artigo da UCB na Revista Bicicleta – abril/2016 – Bicicultura São Paulo 2016 – Que elo te move?

Autoras:

Cyra Malta Olegário da Costa e Melina Rombach, da Ciclocidade – Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo

Pero políticamente y filosóficamente tenemos para conectar la actividad de andar en bicicleta con la actividad de reinventar la vida. (Chris Carlsson)

O Bicicultura, encontro nacional de ciclistas, é espaço de reflexão sobre a bicicleta e suas diversas expressões – em especial sobre políticas públicas de mobilidade. O momento é também ocasião especial para festejar, celebrar e compartilhar os avanços conquistados até o momento, bem como para avaliar os passos para mais conquistas da cultura da bicicleta de forma horizontal, colaborativa e inclusiva.

Os desafios colocados na atualidade frente às mudanças climáticas e necessidades de superação de um modo de vida pautado no consumismo extremo são muitos. As cidades se construíram dentro de uma lógica que, aos poucos, foi deteriorando a qualidade de vida das pessoas. A mobilidade é apenas um destes elementos que denuncia a desigualdade de acesso à cidade pelos indivíduos em toda sua diversidade.

A bicicleta foi um símbolo para as mulheres no início do século XX na busca de acesso à vida pública, nas conquista de espaço e de direitos como cidadãs plenas. Hoje, vemos a bicicleta mais uma vez no centro da conquista de uma cidade democrática, inclusiva e com qualidade ambiental.

Há uma infinidades de ações locais em torno do cicloativismo buscando uma outra forma de ser em sociedade. Não se trata apenas do direito de ir e vir com segurança por quem pedala, mas do acesso democrático à cidade. O direito a ocupar os espaços públicos segregados por força da mentalidade de planejamento que privilegia uns em detrimento de outros levando à gentrificação e periferias apartadas.

Não é novidade que a bicicleta é hoje uma tendência de transporte eficiente e sustentável em diversas cidades, principalmente nas de grande porte, que mais sofrem com a dependência e o excesso de carros nas ruas e com todas as consequências desse modelo de mobilidade baseado em combustíveis fósseis, geradores de poluição e causa da morte de mais quarenta mil pessoas por ano por atropelamentos e colisões no Brasil. Trocar o carro, a moto, ou o transporte público pela bicicleta, para se deslocar, é uma mudança de hábito, um ato potencialmente transformador do ponto de vista individual e social, gerador de autonomia, saúde e liberdade.

A Política  Nacional de Mobilidade Urbana e o Estatuto da Cidade são instrumentos que colaboram na reflexão dos paradigmas vigentes quanto à mobilidade. Mas muitas cidades estão vivenciando esse momento de questionamento de paradigma para além da mobilidade urbana, refletindo sobre a forma como organizamos a vida, individual ou coletivamente, reproduzindo e gerando desigualdade sociais, econômicas, culturais – negando direitos para a grande maioria da sociedade.

O Bicicultura localiza-se na senda destes questionamentos e retoma o espírito da Massa Crítica ao propor uma “coincidência organizada com criatividade rebelde”: pois se andar de bicicleta na cidade hoje já é símbolo de sustentabilidade, acreditamos que essa atitude de mudança na forma de nos deslocarmos abre um universo de possibilidade de novas práticas (culturais, humanas e rebeldes), a partir de novas relações que vão tomando corpo(s) e sendo gestadas a partir e com bicicleta. É esse universo – nascido da lógica da energia humana, da colaboração, da igualdade e dos direitos – que queremos produzir e catalisar no espaço-tempo do Bicicultura. #VemJunto

A edição de 2016 acontece em São Paulo entre os dias 26 e 29 de maio. Organizado pela sociedade civil, é realizado pela UCB – União de Ciclistas do Brasil (UCB), com organização de entidades locais – em 2016 ocorre com a liderança da Ciclocidade.  No entanto, ele permanece sendo um espaço coletivo e de caráter nacional. A ideia é de engendrar, gestar e compartilhar a cultura da bicicleta em todas as suas vertentes: cultural, social, política, artística, econômica e ambiental. O evento abre espaço para o convívio, o compartilhamento de conhecimento e a formação de alianças entre ciclistas, cicloativistas, gestoras e gestores públicos, artistas, entusiastas e interessados(as) na democratização urbana, na sustentabilidade ambiental e na qualidade de vida que a bicicleta proporciona.

Share Button

Fórum Mundial da Bicicleta – um dos principais eventos de ciclomobilidade do mundo

  • Artigo para a coluna “Unindo Ciclos” da UCB na Revista Bicicleta. Ver demais artigos aqui.
  • Edição: Nº 61 – Abr/2016
  • Autoras: Lívia Araújo – membro da Mobicidade e da organização do 1º e 2º FMB, em Porto Alegre; Luís Patrício – membro da Cicloiguaçu e da organização do 3o FMB, em Curitiba

Em 25 de fevereiro de 2011, um grupo de 150 ciclistas participava, em Porto Alegre, da bicicletada mensal, também conhecida como Massa Crítica. Nesse dia, um bancário acelerou seu veículo contra os participantes da ação, atingiu cerca de 20 deles e fugiu em seguida. Por sorte, não houve vítimas fatais.

Continue lendo

Share Button