Uso da bicicleta como instrumento de conservação ambiental

Desde 2012, após um ano do atropelamento de ciclistas na massa crítica em Porto Alegre acontece o Fórum Mundial da Bicicleta (FMB), evento que reúne cicloativistas, ciclistas, cicloviajantes e simpatizantes para a discussão sobre mobilidade por bicicleta e cidades pensadas para pessoas.  Em 2019, a 8º edição do FMB  ocorreu entre os dias 25 a 28 de abril em Quito, capital do Equador, país de rica ancestralidade indígena e detentor de grandes áreas de conservação ambiental, sendo o Sistema Nacional de Áreas Protegidas do Equador (SINAP), composto por 19,1 milhões de hectares, aproximadamente 19% do território nacional.

No Equador, há muito a desejar pela mobilidade urbana em questões de sustentabilidade, fluidez viária e incentivo a modais ativos, a cidade está entre montanhas e não há espaço para mais carros e grandes infraestruturas viárias.

Geralmente, a expansão das cidades não é acompanhada por investimentos à mobilidade urbana, são construídas estradas que atravessam e derrubam a flora natural e colocam em risco a fauna local, que perdem seu habitat natural com as construções ou morrem em estradas devido a alta velocidade de veículos motorizados. Na busca pela preservação, impedimento ou redução desses danos, muitos irreversíveis, há muitas Unidades de Conservação pelo Brasil e mundo, principalmente na América do Sul, representando a preocupação com essas áreas, com o propósito de proteger o patrimônio natural.

Um dos princípios do FMB em Quito foi o da MINGA andina,  tradição de trabalho comunitário em busca de um objetivo comum, seja para solucionar algum problema, criar ou construir algo coletivamente em prol da comunidade. Com base nisso e no  eixo temático ‘’Ecologia da cidade e do território’’,  proposto pelo Fórum, a Bike Anjo DF foi selecionada para compartilhar a experiência da ação realizada na Chapada dos Veadeiros em outubro de 2018, que aborda o uso da bicicleta como instrumento de conservação ambiental, baseado no Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 11 ‘’Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis’’, promovidos pela Organização das Nações Unidas (ONU).

A Bike Anjo é uma rede  voluntária presente em 747 cidades do Brasil, promovendo diversas ações que incentivam o uso da bicicleta, sendo o ensino do pedalar a atividade mais recorrente, com atuação desde ações diretas como a Escola Bike Anjo (EBA) à participação em espaços de discussão da bicicleta no cenário urbano. Em outubro de 2018, a Bike Anjo foi convidada a compor a programação do Festival de Cinema de São Jorge, que acontece anualmente na Vila de São Jorge, Chapada dos Veadeiros-GO. A Vila dá acesso ao Parque Nacional Chapada dos Veadeiros, destino de muitos turistas que buscam o refúgio da natureza com toda a beleza do Cerrado.

Existem poucas campanhas que tratam a necessidade de conservação dessa e outras áreas que viraram ponto turístico, sendo um dos principais problemas as queimadas e atropelamento de animais silvestres. A principal atividade econômica da Vila é o turismo, que em períodos de alta temporada alteram o ritmo tranquilo para acampamentos em todos espaços e muitos carros em ruas que normalmente a locomoção é feita a pé e de bicicleta.

O objetivo da ação consiste em empoderar os moradores a sentirem-se seguros quanto a diminuição do uso de veículos motorizados dentro da Vila e buscar alternativas para manter o fluxo turístico de maneira sustentável para o território que vivem. Sem saber sobre a MINGA, realizamos-a na ação, focando em construir coletivamente a discussão e levando experiências e atividades novas à rotina dos moradores, principalmente crianças que ficaram muito empolgadas com as atividades realizadas.

O tema inserido para debate e as ações realizadas possibilitam o empoderamento dos moradores quanto à temática do direito ao espaço urbano e respeito à Unidade de Conservação. Foram realizadas rodas de conversa sobre mobilidade urbana e direito ao espaço público, direitos e deveres de ciclistas de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), história da criação e evolução da bicicleta e Massa Crítica/Bicicletada. As oficinas foram focadas na produção de pôsteres-convite para a EBA e Massa Crítica/Bicicletada, reparos básicos nas bicicletas e a realização da EBA.

É preciso  falar sobre o uso da bicicleta não apenas como uma alternativa de transporte sustentável que reduza o uso de combustíveis fósseis. A problemática também está presente no espaço destinado à circulação de carros, que se priorizado em locais como Unidades de Conservação, afetará o patrimônio natural irreversivelmente. Assim como é importante adotar medidas de combate às mudanças climáticas a problemas já existentes, precisamos usar mais da prevenção em todos os espaços necessários.

A participação da Bike Anjo DF em Quito mostrou que o desafio do Centro-Oeste tem grande potencial de solução se priorizarmos a conservação ambiental por meio da bicicleta, assim como em muitas outras realidades que precisam inibir o uso do automóvel em prol do bem estar coletivo das pessoas e preservação do meio ambiente.

 

CLIQUE AQUI PARA VER TODAS AS FOTOS

 

Texto: Joyce Ibiapina Costa – Bike Anjo DF.

Este texto foi composto para o Edital 01/2019 “Você no FM8” promovido pela UCB – União de Ciclistas do Brasil e financiado pelo Itaú como resultado da participação do/a autor/a no 8º Fórum Mundial da Bicicleta (Quito/Equador – 25 e 28/04/2019).

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *